Em 1950 foi convidado a integrar a ala de compositores da Portela, sua grande paixão, onde mais tarde viria a se torna líder da velha guarda mais popular do Brasil. Conseguiu consagrar sambas “de terreiro” ou “sambas de quadra”, como são conhecidos aqueles executados nos ensaios e logo tornados emblemas do patrimônio cultural coletivo dessas associações.

Seu primeiro disco solo – que o revelou também como intérprete – foi lançado em 1976, com alguns temas que viriam a se converter em sucessos, como “O Quitandeiro”.

Em 1995, Monarco ganha reconhecimento internacional com o CD “A Voz do Samba”, também lançado no Japão. No Brasil, foi editado pelo selo Kuarup e lhe rendeu um prêmio Sharp de melhor cantor do gênero (samba).

Nos termos da tradição popular urbana carioca, Monarco é reconhecido como pertencente à linhagem nobre do assim chamado “samba de raiz“, a expressão musical mais tradicional (e musicalmente mais apurada) produzida pelos estratos populares. Foi discípulo de Paulo da Portela, um dos grandes pioneiros do samba. Produzindo músicas de melodias refinadas e letras de notável qualidade poética, Monarco figura seguramente entre os maiores sambistas da história.

Em 1999 a cantora Marisa Monte convidou Monarco e a Velha Guarda da Portela para o CD “Tudo Azul”, de sua produção, que contou com participação de Paulinho da Viola e Zeca Pagodinho. Foi um grande divisor de águas em termos de visibilidade do grupo na indústria cultural, e que deu testemunho do patrimônio histórico musical dos chamados “bambas“.

Em 2008 foi lançado o documentário “Mistério do Samba”, no qual Monarco tem participação destacada, oferecendo relatos de sua história de vida e seus testemunhos pessoais sobre a história do samba no Rio de Janeiro. Essa produção, incluída na seleção oficial do Festival de Cannes, consagra-se como um marco sobre o ambiente cultural e histórico do mundo do samba .

Em 2010, Monarco gravou seu primeiro DVD – “Monarco: A Memória do Samba” – no dia 28 de setembro. Assim como o documentário “Mistério do Samba”, esse projeto se pretende como um registro para a história da tradição do samba. Desse DVD participam Zeca Pagodinho, Martinho da Vila, Paulinho da Viola, Velha Guarda da Portela e Família Diniz. Beth Carvalho também participa do DVD. Apesar de não poder comparecer ao show por conta da recuperação de um cirurgia na coluna, Monarco e sua banda foram à sua casa para gravar, com a chamada “madrinha do samba“, a música “Lenço”. Em maio de 2011, o DVD foi lançado em um show para convidados no Teatro Rival Petrobrás.

Em 2013, Monarco foi o grande articulador da vitória da chapa Portela Verdade, encabeçada por Serginho Procópio como presidente, atuando politicamente contra o então ex-presidente da Portela (Nilo Figueiredo), e tornando-se então o presidente de honra da escola.

2 COMENTÁRIOS

  1. Olá, somos a TV Brasil – EBC São Luis Maranhão. Gostaríamos de consegui contatos da produção do sambista Monarco que estará se apresentando aqui em São Luis, Sábado dia 20 na Casa das Dunas e estamos com dificuldade de atendimento local. Então, precisamos falar direto com o produtor que o está acompanhando.

  2. Gostaria de dar um abraço no Monarco . Meu pai foi amigo dele e faleceu a 25 ânos atrás . Meu presente de Natal foi um disco do mauro Diniz . Não preciso de nada só um abraço de quem meu pai foi um grande ídolo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Entre com seu comentário
Por favor, digite seu nome