tia-surica
Tia Surica canta na tradicional Feijoada que leva o seu nome realizada no Teatro Rival no Centro do Rio de Janeiro

Conheci Tia Surica pessoalmente no começo dos anos 90 num show da Velha Guarda da Portela com participação do Zeca; Seu Manacéa, a quem eu tinha verdadeira adoração, ainda era vivo. E, foi neste show, que eu cheguei perto dela e falei da minha emoção em conhecer aqueles que faziam a história do samba. Ela me olhou… “tá bem, minha filha, tá conhecida…”

Tia Surica é essa figura maravilhosa, cheia de boas tiradas. Numa dessas, chegou um dia pro Zeca que tava meio sorumbático e falou que ele tava com cara de pastel sem carne. Falar que está “esmerdalhada”, quando quer dizer cansada é costumeiro também. E que uns e outros são chave de cadeia, portal de cemitério. Tem também a “não sou pouca merda, não! sou pinico cheio…”

Fora essas brincadeiras, ela é sagaz e tem sempre uma resposta rápida pra dar. Na entrevista que eu estava fazendo com ela, eu errei o modo de usar o microfone, ela, mais que rapidamente, “se não se preparou deixa pra outro dia”.

Essa é Tia Surica totalmente azul e Branca! Filha de portelenses, Iranette Ferreira Barcellos pouco se lembra do tempo em que não estava na Azul e Branco. Desde 1980, Tia Surica é pastora da Velha Guarda da Portela e gravou “Velha Guarda da Portela -Grandes Sambistas”, em 1986, “Homenagem a Paulo da Portela” em 1988 e o maravilhoso “Tudo Azul” produzido por Marisa Monte, em 1999. E ainda puxou o samba do Paulinho da Viola na avenida.

Tia Surica também investe em sua carreira solo e já se apresentou por todo o Brasil e lá fora, com certeza uma das mais importantes vozes femininas do samba que guardam a história do seu Pavilhão. Muitos sambas que compositores da Portelas esquecem, a Tia Surica lembra. Em 2004 , aos 63 anos, Tia Surica lançou seu primeiro CD com produção musical do Maestro Paulão 7 Cordas e direção artística de Ruy Quaresma (Fina Flor Produções), que traz em seu bojo pérolas inéditas e regravações de portelenses como Candeia, Manacéa e Monarco. E agora dia 22 de novembro lançou seu Primeiro DVD- Poderio de Oswaldo Cruz-no Imperator.

Mora até hoje no bairro onde nasceu em uma vila bem próxima ao Portelão. Sua casa, conhecida como o Cafofo da Surica, é palco de festas memoráveis nas quais além de uma boa roda de samba, pode-se apreciar os dotes culinários da anfitriã e eu, graças a Deus, tive várias oportunidades de ser recebida naquela casa que reune com pessoas maravilhosas. Dentre elas, Irani, irmã de Tia Surica que é a mais doce das pessoas que certamente tem sua contribuição importante neste Cafofo.

E não posso deixar de compartilhar a minha alegria que é ter Tia Surica ao nosso lado no Mulheres do Zeca – musical.
Então, curtam o DVD Poderio de Oswaldo Cruz da nossa querida Tia Surica que deixa aqui um recado:
– Obrigada pela minha presença…

DEIXE UMA RESPOSTA

Entre com seu comentário
Por favor, digite seu nome