Aos 28 anos, o jovem Márcio da Costa Batista, nosso Mumuzinho, já acumula uma grande bagagem artística. Digo artística, não apenas musical, por já ter tocado em bares, participado de filmes como “Tropa de Elite” e “Cidade de Deus”, por ter encantado Regina Casé com suas imitações de artistas famosos, e conquistado Zeca Pagodinho e Dudu Nobre pelo seu talento natural de sambista. Resultado, os três podem ser considerados padrinhos do cantor em seu primeiro disco, “Dom de sonhar”, que ele lança agora.
Zeca, que há 15 anos apresentou Dudu Nobre como seu herdeiro musical – e acertou em cheio – repete a dose com Mumuzinho.

E com esse palco aberto ele já teve a oportunidade de mostrar seu poder de intérprete em sambas que já ganharam as rádios como os românticos “Mande um sinal” e “Curto-circuito”, que surge com um belo arranjo e o piano acústico de Jota Moraes. “Meu amor, esse amor que balança você/ Faz a cuca girar, faz o corpo tremer/ É um curto-circuito aqui dentro de mim/ Que explode no peito quando eu tô a fim…”. Já nasce com alma de sucesso, daqueles que ficam no inconsciente popular. Vale ressaltar as participações de Mauro Diniz no cavaquinho, de Thiago Silva, no banjo, e do ótimo trio percussivo formado por Miudinho, Nenê Brown e Bruno Cardoso, que ajudam muito no suingue gostoso do disco.

mumuzinho-texto-sambandoA mesma alma popular também está presente em “Baratinar”, que narra um encontro desses que acontecem na vida de qualquer um de nós.

Nessa levada surgem “Te amo”, de compositores contemporâneos como Carlos Caetano e Adriano Ribeiro, outro sambista que despontou recentemente, e “Estonteante”: “Difícil é me cansar de ouvir a rouquidão da sua voz/ Jogando charme pelo ar”.

Mas sambista que é sambista não se restringe apenas ao repertório romântico, tem sempre o bicho do partido alto, do samba versado na veia. E “É tudo improvisado” não fica a dever à melhor produção do gênero. O samba de Claudemir é uma pérola: “Cerveja chama outra cerveja/ Um samba chama outro e não dá pra parar/ Trabalho de segunda a sexta, tenho uma família para sustentar/ Eu gosto é de um bom tira-gosto/ De um bate-papo com a rapaziada/ Mas o samba tá na veia/ E o que me contagia é o som da batucada”. Quem rola pelas rodas de samba do Rio de Janeiro, do Pagode do Arlindo ao Candongueiro, em Pendotiba; do Pagode da Doca às rodas do Clube Renascença sabe que esse é o espírito da coisa.

Mas, à frente das várias facetas do artista, está mesmo o intérprete afinadíssimo, de uma boa divisão rítmica e um suingue envolvente. Além de um repertório afinado com sua verve romântica. E canções como “Se eu tivesse o poder”,”Dom de sonhar”, “O tempo é mistério”, “Receita de amor” servem de cama para o seu talento.

Talento esse, que se espalha por outras profissões, como ator por exemplo, no programa global, o multi-astro também tem um, ou melhor, os dois pés bem trabalhados na comédia, onde diverte a todos com sua irreverência e criatividade sem igual. Mumu é de Baratinar!

3 COMENTÁRIOS

  1. Prezado Mumuzinhoo

    mandou mt bem na varanda,sou seu admirador, me desculpe a pergunta:
    poderia ser o dj do churrasco que vc citou que ira fazer apos a pandemia?
    nao sou conhecido mas experiente com vasto repertorio, e tenho alguns amigos da classe artistica.
    grande abraco Marcelo s dj

  2. Realizar o sonho da minha filha Isabela , gostaria muito que você gravasse um vídeo para poder passa no telão na festa de 15 ano dela ano que vem…Ela e sua fã mumuzinho.

    Por favor conto com você..
    Obrigada

DEIXE UMA RESPOSTA

Entre com seu comentário
Por favor, digite seu nome