Roda de samba raiz é em “Sampa”.

Depois de oferecer uma lista completa das 10 rodas de samba tradicionais do Rio de Janeiro e selecionar uma lista com as 15 rodas de samba imperdíveis do Rio de Janeiro e ainda curtir de montão as 8-rodas-de-samba-de-sao-paulo-que-voce-precisa-conhecer chegou a vez de fazer um giro sobre as 10 rodas de samba imperdíveis em sampa (sp) que você precisa conhecer:

1- Quintal da Xika
Em Itaquera (SP) rola um quintal paulista a moda do mais puro samba de raiz, cujo o nome “Quintal da XiKa” é uma junção de Xixa com o nome Kátia, nesse quintal sempre era feito encontros e rodas de samba quando casados. Os dois chegaram montar o XIKA bar lugar onde também reuniam familiares, amigos, sambistas e partideiros, daí surgiu e agora a família do samba de São Paulo, só sabe cantar: Te quero Xika!

2- Comunidade da Vila Industrial
O samba da Comunidade da Vila Industrial surgiu em 2012, através de uma conversa informal e despretensiosa, entre a Dona Rô, Maycon, Ed Nilson e Carlinhos. Estavam com uma ideia de reunir amigos, curtir um belo samba de raiz e de quebra fazer caridade, desenvolvendo assim ajuda para a comunidade carente da região. Então, para ingressar nessa alegria é necessário sua contribuição doando alimentos. Diversos artistas, já estiveram por lá: Almirzinho, Yara Rocha, Vagninho (ex Grupo Gamação), Jair de Oliveira (Seu Jair), Rose Calixto, Toninho Geraes, Marcia Inayá, dentre outros… Simbora!
LOCAL: paschoal leite paes 218 vila industrial-Bar da Rô zona leste-sp

3- Bate fundo
O Projeto Bate fundo , teve origem na zona sul de São Paulo, em Outubro de 2014, e rapidamente tomou corpo, reunindo um público com cerca de 700 pessoas por encontro, que acontece todo (2º) segundo sábado do mês. Nos encontros, uma grande roda de samba é formada, sendo musicada por um vasto repertório. A roda caracteriza-se pela interatividade com o público, através das mais variadas composições do cenário do samba. Através do samba, seus intérpretes e compositores, traduz o retrato da cultura brasileira, pois em cada verso esta um pedaço do nosso cotidiano, da luta do povo, das mazelas e alegrias, dos costumes e sentimentos de toda uma nação, mantendo assim, a chama do bom e velho samba acesa. O movimento que visa a necessidade de um maior espaço para a cultura brasileira, e a importância da difusão dos valores do samba em sua forma genuína. Resgate, preservação e resistência.

4- Comunidade samba da praça Grajaú
A roda foi fundada em 07/12/12.
No início, sua finalidade era fazer uma roda de samba com os amigos, mas, após um curto período decidiram transformar a roda de Samba em Comunidade. Isso mesmo, o projeto virou e é considerado patrimônio de sampa pela galera da região. A roda de Samba acontece todos os sábados, de março a dezembro, na Praça Dona Ivonne, Rua Eduardo Ramos, s/n. Pq. América, zona sul de São Paulo.

5- Pagode do Cafofo
Criado em meados de 2002 por um grupo de amigos, com uma única pretensão de lembrar “sambas da antiga”, assim chamamos carinhosamente antigos sucessos que marcaram época e ficaram nos corações dos bons e velhos sambistas. A Rapaziada com muita humildade faz um samba verdadeiro, firmado na palma da mão e soltando o gogó, sem discriminação de cor, raça ou religião. Qualquer um pode chegar que é bem-vindo.

6- Berço do samba São Matheus
Considerado na Zona Leste um dos grandes redutos do samba tradicional, o Berço do Samba de São Mateus não se cansa de criar, produzir e desenvolver sambas que falam do cotidiano das origens, de amor, de problemas e soluções sociais, do bairro e outros redutos de samba, proporcionando o desenvolvimento musical, integração e coletividade, criando uma conexão cultural junto a sua comunidade, num ambiente familiar e amistoso. Composições feitas por pessoas que tem verdadeira paixão pelo samba, seguindo uma linha tradicional dando continuidade a um estilo e uma linguagem musical que vem atravessando décadas. Gente que faz samba puro, autêntico, que brota com naturalidade no dia a dia da vida em comunidade.

Da sua formação até seu crescimento, São Mateus vem preservando o samba nos velhos e novos redutos. Desde os tempos do quintal da Tia Filó, casa da Dona Ercília, quintal da Tia Cida, quintal da Dona Severina ou o famoso Quintal do Zezinho, Rua “12”, até os mais recentes tais como Boteco do Timaia e Comunidade Maria Cursi, fazem de São Mateus um grande atrativo, sempre regado a mais bela variedade da culinária brasileira. Esta roda de samba tem o aval de grandes nomes como Beth Carvalho, Almir Guineto, Luís Carlos da Vila, Zé Luis do Império Serrano, Wilson Moreira, Velha Guarda do Camisa Verde e Branco e muitos outros citam hoje São Mateus como um dos grandes Redutos do Samba no Brasil.Foram nessas rodas de samba que surgiram músicos, compositores e interpretes. São eles os irmãos Yvison Pessoa, Everson Pessoa e Vitor Pessoa.

7- Pagode na Disciplina
Idealizado em Julho de 2015 por músicos e moradores do bairro Jardim Miriam localizado na zona sul da cidade de São Paulo, o Projeto Pagode Na Disciplina tem o intuito de reunir a comunidade para um momento de lazer, entretenimento e reconhecimento cultural dentro da periferia, para reverenciar e exaltar à cultura popular do samba Paulista e o fortalecimento das bases de formação social que ele proporciona.
O projeto também promove o diálogo entre os diversos segmentos da arte que estão sendo produzidos dentro da periferia, principalmente na região sul e proximidades do Jardim Miriam, acontece sempre no último domingo de cada mês.

8- O samba merece respeito
O “samba merece respeito” começou com uma reunião de sambistas de SP e RJ com o intuito de AGREGAR, todos numa mesma roda de samba. Local livre para cantar as próprias canções e dar espaço para novos sambistas e compositores.

9- Samba na lage
Samba da Laje não é moda é qualidade. Todos os 2º Domingos do mês tem Samba da Laje, a entrada é uma Contribuição Voluntária de 1 kg de Alimento não perecível.
Rua Jandi, 79 – Vila Santa Catarina – Zona Sul – (Trav. da Rua Jorge Duprat Figueiredo)
04361-020 São Paulo

10- Samba no asfalto
Fundado Julho 2007, o Projeto Samba no Asfalto, vem proporcionando em suas rodas de samba mensais, sempre ao terceiro domingo, um pouco de cultura e lazer para a comunidade de Ermelino Matarazzo, contribuindo em manter viva a história do estilo musical considerado Patrimônio Cultural do Brasil, o Samba. Este projeto já teve o reconhecimento e apoio financeiro pela Secretaria Municipal de Cultura, através do Programa VAI – Valorização de Iniciativas Culturais, desenvolvendo o aprendizado nas oficinas culturais oferecidas gratuitamente as crianças e jovens de baixa renda.

Crédito: Colaborador Billy Joe (SP) e equipe sambando

DEIXE UMA RESPOSTA

Entre com seu comentário
Por favor, digite seu nome