Olori Xangô, Guerreiro, ecoou pela Sapucaí por volta das 2h da madrugada. Era o Salgueiro que entrava na avenida como a força do Trovão da Bateria Furiosa que tinha à sua frente nada mais nada menos que Viviane Araújo, devidamente caracterizada de Borboleta de Oyá, foi ovacionada pelo público como Rainha das Rainhas.

Do Império Serrano à Unidos da Tijuca, o primeiro dia dos desfile das Escola de Samba do Rio de Janeiro no carnaval 2019, foi marcado por emoção. Mas, sem tirar o mérito das demais escola que desfilaram, Salgueiro, Beija-flor e Tijuca, realmente foram os destaques da noite. O enredo do Salgueiro foi um espetáculo a parte e parecia encarnar realmente a força do Orixá Xangô, trazendo para avenida de maneira muito forte o sincretismo que une várias culturas e várias religiões, tão características do nosso Brasil.

E por falar em religião, outro destaque da noite foi a Unidos da Tijuca que, tornou o amanhecer na Sapucaí ainda mais lindo com um enredo que mais parece uma oração. assim, vestindo a fantasia pra fazer o bem, ao falar do pão, a Unidos da Tijuca também incorporou a seu desfile os elementos da fé, para contar a história do pão nosso de cada dia e que infelizmente falta na mesa de muitos. Podemos destacar a encenação do Cristo carregando a Cruz pela Sapucaí, numa representação memorável do “cordeiro que a alma fortalece”. A cena emocionou o público e ao som da com da bateria do Mestre Casagrande, vestido de Santo Honório,o enredo era cantado a plenos pulmões em coro, enquaato  alguns faziam o sinal da cruz e outros realmente tocados, tinha os olhos marejados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Entre com seu comentário
Por favor, digite seu nome