A voz de Jau tem cor. É preta e vem do Olodum, da Bahia, da África, do Mundo. A voz de Jau tem sabor, é doce como a cana-de-açúcar, flambada na cachaça pura dos engenhos do nordeste. A voz de Jau tem luz, uma luz profana e sagrada, abençoada por Deus e respeitada por todos que fazem da música, sua profissão. Uma voz que chega, para no ar, invade as ruas, ecoa nas ladeiras e conquista Roma. A voz de Jau tem poder.

Menino moleque, nascido no Rio Vermelho em 27 de setembro de 1969, com a benção de São Cosme e São Damião, criado entre 14 mulheres, Jauperi Lázaro é a afirmação de que a música baiana é a música mais pop do Brasil. Suas composições, interpretadas por ele e vários artistas, ensinam a entender a nova Bahia, uma Bahia que não quer perder seu passado, mas não se admite em outro lugar que não seja o Topo do Mundo.

jau-texto-sambandoEm 1988, passou a integrar oficialmente o Olodum, como autor e intérprete, e faz sua primeira viagem para a Europa, onde participou dos mais importantes festivais de música como Montreux, Womad, Metisse Musique, e tocou com astros da música nacional e internacional como Paul Simon, Tracy Chapman, Joan Baez, Djavan, Marisa Monte e Paralamas do Sucesso. A precocidade do menino do Rio Vermelho também se mostrou em seu primeiro trabalho profissional aos 19 anos, ao vencer, em 1989, o Festival de Música e Arte do Olodum (Femadum) com a música Olodum, sonho e profecia e carimbar seu passaporte para o mundo musical.

Um dos mais prestigiados compositores baianos da atualidade com canções gravadas pelos grandes nomes da música baiana, Jau se supera a cada projeto. Prova disto foi o sucesso meteórico da banda Afrodisíaco – que depois mudou de nome passando a se chamar Vixe Mainha –, projeto criado junto com o parceiro desde os tempos do Olodum, Pierre Onassis, em 2005.

Durante o Verão 2008, participou dos ensaios de diversos artistas baianos e no Carnaval se apresentou na festa de Iemanjá, no Trio Expresso 2222 com os amigos Pepeu Gomes e Preta Gil e em shows no Pelourinho e no Tropical Hotel da Bahia.

No final de 2008 e começo de 2009, realizou uma temporada de sucesso absoluto no Cais Dourado com o show Bateu Saudade, um resgate de toda sua carreira, que contou com grandes participações e shows como: Caetano Veloso, Jorge Aragão, Maria Rita, Margareth Menezes, entre outros.

Emprestando sua voz para projetos como a trilha sonora do filme Ó Paí, Ó (ao lado de Caetano Veloso), Jau se firma também como um cantor baiano que passeia pelo universo do cinema brasileiro.

A voz de Jau tem pele, tem sangue e pulsa. Ela sangra a canção e a dor vira beleza.

Jau Lázaro é um artista surpreendente, um ícone da raça negra, da consciência, do axé, da música popular brasileira, da Bahia, do Brasil.

Contratar o Jau para shows e eventos corporativos e sociais ficou mais fácil.

CLIQUE AQUI ou ligue:

Telefones: (71) 3512-0818  / (21) 3823-0535)

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Entre com seu comentário
Por favor, digite seu nome