Gabriel Gitahy da Cunha, o Gabrielzinho do Irajá, está acostumado a comandar rodas de samba pelo Rio de Janeiro. Sambistas famosos como Dudu Nobre conhecem e admiram seu talento como versador, ou seja, sua capacidade de improvisar versos. Ele também é ator, com fez peças de teatro, fez novela das “9”. Além de aulas de natação, partido alto e canto.

E consegue conciliar tudo isso estudando muito é claro. Gabrielzinho é deficiente visual. Mas isso, como dá pra notar, é apenas um detalhe. Ele tem uma trajetória impressionante.

Wilma Gitahy de Lima, mãe do menino, conta como ele começou a se interessar por música: “O Gabrielzinho tinha dois anos e meio quando ouviu a Nana Caymmi cantar ‘Mudança dos ventos’ e ficou alucinado. A música tocava na novela ‘Por amor’, e ele parava tudo o que estivesse fazendo quando ela tocava, para escutar. Ele queria saber quem era a dona daquela voz tão linda. E olha que ele nem falava direito ainda!

gabrielzinho-texto-sambandoNa mesma época, a Nana fez um show aqui no Rio de Janeiro, então eu fui me informar se era permitida a entrada de uma criança tão pequena na casa de show. Me disseram que não tinha problema, desde que ele fosse acompanhado dos seus responsáveis e levasse seus documentos.

Mas acharam que eu era maluca, disseram que era impossível uma criança daquela idade ser fã de Nana Caymmi. No fim das contas, eu consegui até levar o Gabrielzinho ao camarim da Nana, antes do show. Ele adorou! Ele também conheceu o irmão dela, o Danilo, que ficou um tempão conversando com ele. Um tempo depois, uma vizinha nossa deu de presente a ele o CD da família Caymmi. Foi aí que o Gabrielzinho conheceu Dorival Caymmi, que virou sua paixão”.

Depois de Caymmi vieram Tom Jobim, Elis Regina, Chico Buarque e outros ídolos da MPB. Hoje sua preferência absoluta é pelo samba. “Mas eu só canto samba de raiz. Esses pagodinhos melosos que só falam de amor eu não gosto, não!”, ele avisa. A cantora Dorina, que também mora no bairro do Irajá, conheceu Gabrielzinho quando ele estava com 4 anos. Fascinada pelo seu talento, ela o convidou a participar de seu programa de rádio. Daí, não parou mais. “O Gabrielzinho começou a assistir ao programa e ouvir as dicas que a Dorina dava, informando onde ia ter roda de samba no Rio. Ele me pedia para ir às rodas e eu levava, pra ele ficar feliz. Aos poucos, ele foi virando especialista em samba.

Nas rodas pelo Rio de janeiro, Gabrielzinho foi conhecendo sambistas consagrados, como Almir Guineto, Ircéia Pagodinho, Monarco, Tia Doca, Tia Surica, Luiz Carlos da Villa, Bandeira Brasil e tantos outros. Daí para ter sua própria roda de samba, foi um pulo.

Sempre feliz e versador, o garoto de Irajá traz o samba nas veias, adora sentir o clima do samba e todo o povo sambando, a energia do samba é vista através da alma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Entre com seu comentário
Por favor, digite seu nome