A primeira dama do Samba, nasceu em Botafogo, no Rio de Janeiro, em 13 de abril de 1921.

Filha de uma cantora de rancho, começou a compor com 12 anos. Uma de suas primeiras músicas foi o partido-alto Tiê-tiê (nome de um pássaro de que gostava muito). Estudou no colégio municipal Orsina da Fonseca, de onde saiu, com 17 anos, para morar na casa do tio, Dionisio Bento da Silva, pois seus pais já haviam falecido.

O tio pertencia a um grupo de chorões, com ele aprendeu a tocar cavaquinho. Em outubro de 1947, foi morar em Madureira e começou a frequentar a extinta escola de samba Prazer da Serrinha. Nessa época compôs muitos sambas e partidos-alto, que eram mostrados aos outros sambistas pelo seu primo Mestre Fuleiro (também compositor), como se fossem dele, pois o preconceito vigente não favorecia a aceitação de mulher sambista.

Casou em 1947, com Oscar Costa, filho do presidente da Escola de Samba Prazer da Serrinha, e nesse mesmo ano fez um samba com o qual a escola desfilou – “Nasci para sofrer”. Com o desaparecimento da escola, transferiu-se com todo o seu grupo, para o G.R.E.S. Império Serrano, fundado em 1947 por dissidentes da Prazer da Serrinha. Continuou a compor e uma das suas músicas de maior sucesso na escola foi “Não me perguntes” (com Mestre Fuleiro).

Em 1965, o samba-enredo “Os cinco bailes da corte” ou “Os cinco bailes tradicionais da história do Rio” (Dona Ivone Lara, Silas de Oliveira e Bacalhau) classificou-se em quarto lugar no desfile das escolas de samba e foi gravado posteriormente, em 1974, pela própria autora, em Discos Marcus Pereira, “Histórias das escolas de samba: Império”.

Foi a primeira mulher a compor samba-enredo. Participou das rodas de samba do Teatro Opinião, no Rio de Janeiro, durante 12 anos.

Madrinha da ala dos compositores de sua escola (Império Serrano) e desfilou desde 1968.

O ano de 1970 foi sem dúvida alguma, de grande importância para sua carreira de intérprete e compositora, pois gravou o seu primeiro disco pela gravadora Copacabana “SAMBÃO 70”, produzido por Sargenteli e Adelson Alves. Suas composições com vários parceiros foram gravadas e fizeram sucesso nas vozes de grandes intérpretes da música brasileira.

Apresentou-se em vários países da Europa, América do Norte, América do Sul e África.

No dia 13 de abril de 2011 Dona Ivone Lara completou 90 anos de idade, sendo o enredo da Escola de Samba Império Serrano, no Carnaval do Rio de Janeiro/2012. No dia 24 de Agosto/2012 Dona Ivone Lara fez um show de lançamento no Teatro Rival do CD “BAÚ DA DONA IVONE”, contendo somente músicas inéditas.

Conquistou a admiração de cantores e compositores de todas as idades, tornando-se madrinha de vários deles e dividindo com seus afilhados, como o cantor e compositor João Martins.

Ela que fez muitos sambas, com mais de 90 anos de idade, tornou-se também letra de sambas de respeito.

A sua arte atravessou fronteiras e foi mostrar para o mundo a força da nossa música e o brilho dessa grande estrela.

DEIXE UMA RESPOSTA

Entre com seu comentário
Por favor, digite seu nome