Numa virada espetacular, a Viradouro desbanca Beija-flor e Grande Rio e leva o título de Campeã do Carnaval carioca 2020.

Com o enredo “Viradouro de alma lavada”,  inspirada nos cânticos seculares entoados pelo grupo musical de mulheres de Salvador, as Ganhadeiras de Itapuã, a Viradouro fez um carnaval de resgate da cultura afro-brasileira contanto a história das lavadeiras que ganhavam a vida às margens da Lagoa de Abaeté e na Praia de Itapuã – Salvador Bahia.

Os carnavalescos Marcus Ferreira e Tarcísio Zanon foram consagrados já na estreia com o bicampeonato da Escola. Muito emocionado o carnavalesco Tarcísio mal conseguia falar.

A Viradouro desfilou com 3.200 componentes divididos em 27 alas, seis alegorias, com o abre-alas acoplado por quatro tripés.

A surpresa ficou por conta da performance de Anna Giulia, única atleta negra de nado sincronizado da Seleção Brasileira, que representou uma Oxum à beira da loga do Abaeté na forma de um aquário gigante na comissão de frente.

A performance encantou e tirou aplausos do público e também os jurados.

O desfile exaltou as atividades típicas das chamadas “Ganhadeiras”: como mulheres guerreiras, elas lavavam roupa, carregavam e vendiam água, costuravam, vendiam bugigangas e os famosos quitutes, abarás, cocadas, dentre outras delícias.

A força que tiveram para ir atrás da liberdade fez das Ganhadeiras e de Itapuã modelo de empoderamento, ganhando lugar de destaque também como símbolo da cultura afro-brasileira tão pulsantes na Bahia.

O Título de 2020 é o segundo título da Viradouro que veio merecidamente depois de 23 anos de espera.

Parabéns Viradouro, Campeã do carnaval 2020!

A Viradouro foi Campeã no Rio, e em São Paulo? Quem será?

DEIXE UMA RESPOSTA

Entre com seu comentário
Por favor, digite seu nome