A música está na vida do cantor desde os 15 anos, quando já era conhecido como Tomate – apelido dado na infância. O axé foi consolidado em sua carreira logo que ingressou na banda Rapazolla, onde permaneceu por sete anos. Hoje, já em carreira solo, demonstra maturidade como artista e compositor. Dirige novos projetos em que mistura ritmos, influências e sons.

Engana-se quem pensa que o apelido do cantor (Tomate) tenha sido pela cabeleira vermelha sustentada na época da banda Rapazolla. A alcunha vem desde a infância, mais precisamente aos 7/8 anos de idade quando passava férias em Arembepe, uma praia que fica ao norte do litoral de Salvador, onde a sua família tinha uma casa de praia.

Nesta férias teve, pela sua mãe, a cabeça raspada, juntamente com seu irmão. E quando voltou para Salvador (BA) estava com a cabeça vermelha, fruto do intenso sol baiano, e visto isso, um amigo (Fred, segundo o próprio cantor) o apelidou de Tomate, nome adotado para a carreira artística e que mais tarde, em 2007, veio a fazer parte do RG do cantor.

tomate-texto-sambandoCom 10 anos de carreira artística, desde o carnaval de 2008 que Tomate tomou um novo rumo. O cantor, que se despediu do comando do seu antigo grupo, partiu para carreira solo com a vontade de mostrar todo seu potencial. E este projeto já começou assim: diferente, cheio de novidades e com uma surpreendente sonoridade musical. A estreia na carreira solo foi em território mineiro, quando Tomate fez uma longa turnê por Minas Gerais e logo em seguida conquistou todo o país mostrando o seu novo show, juntamente com sua banda, composta por grandes músicos e apelidada carinhosamente por ele de “Lado T”.

Atualmente, o cantor é considerado o maior puxador de trio dos últimos tempos e viaja com o show baseado no seu DVD, “A7I7UDE”, gravado na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais, já que ele possui uma relação muito próxima com o Estado. “O mineiro é muito parecido com o baiano, um povo carinhoso e que sempre me tratou bem e abraçou a minha carreira com muito amor”, justifica.

Com um repertório recheado de sucessos, incluindo as músicas “Eu Te Amo Porra” e “A Gente Se Vê Depois Da Chuva”, hoje, Tomate assina a direção e produção de seus shows. O músico, que não se denomina um cantor único e exclusivamente de axé, afirma que a música baiana é e sempre será o divisor de águas em sua carreira, mas que o rock, o pop, o reggae e todos os estilos musicais sempre farão parte dessa trajetória de sucesso, já que ele mesmo diz, “Tomate é música”.

Com dois CD’s e um DVD gravado, o cantor baiano, natural de Salvador, continua em busca do que mais gosta de fazer: cantar. E para quem estava acostumado às apresentações eletrizantes do Tomate, pode esperar muito mais.

“O importante é ver vocês cantarem, jogarem a mão pra cima e serem felizes!”, conclui.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Entre com seu comentário
Por favor, digite seu nome