“Me engana que eu gosto!” Quem nunca ouviu este bordão? Ele surgiu a partir do primeiro disco de Marquinho Sathan que de tanto sucesso, acabou virando dito popular ou bordão brasileiro.
Marquinho desde o início de sua carreira, se destacou, por seu talento para compor e cantar. O primeiro cd, onde dividiu duas faixas com Roberto Ribeiro e Bezerra da Silva, reunindo ainda compositores como Arlindo Cruz, Beto Sem Braço, Almir Guineto entre outros nomes de peso, rendeu-lhe o disco de ouro. Em seu segundo disco, recebeu novamente um Disco de Ouro, consagrando o sucesso “Por Incrível Que Pareça” com participação especial de Alcione.
Reconhecido como um dos melhores intérpretes do samba do país, realizou turnês pelos Estados Unidos, Japão e Europa (Portugal, Alemanha, Espanha e França) entre outros países. Foi merecedor do “Prêmio Sharp” em 1991 como melhor intérprete de samba, e também, recebeu, como melhor intérprete por cinco vezes, o Oscar do Samba em SP no projeto “Os Melhores do Ano”.
Com mais de 30 anos de carreira, 13 cds gravados e inúmeras participações, prestes a lançar o seu mais novo trabalho, “Convite pra Sambar”, Marquinho recebeu a equipe do Portal Sambando, para uma conversa descontraída sobre as “histórias do samba”, com aquela simpatia típica de um bom carioca, que não perde a piada. Confira!

DEIXE UMA RESPOSTA

Entre com seu comentário
Por favor, digite seu nome