MateriaCartolamusical_textoSe águas passadas não movem moinho, o talento de Cartola não ficou no passado, mas se faz presente e será eterno em suas canções, gravadas, regravadas e agora levadas ao Teatro através do musical “Cartola o Mundo é um Moinho”.

O projeto aprovado pela Lei Rouanet é apresentado pelo Ministério da Cultura e Banco Itau, conta com o apoio do Museu do Samba e patrocínio da Rede e Renner além de ter como transportadora oficial a Avianca.

O musical irá contar a trajetória de um dos maiores nomes do samba: Cartola – fundador de uma das mais antigas e certamente a mais popular Escola de Samba, A G.R.E.S. Estação Primeira de Mangueira! Arlindo Cruz, em parceria com Igor Legal, compôs, com exclusividade, o samba-enredo que encerrará o espetáculo.
A estréia de “Cartola, o mundo é um moinho!” acontece no dia 10 de setembro/2016, no Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo – ano em que se comemora os “Cem Anos de Samba”.

De Artur Xexéo, com direção de Roberto Lage e Idealização de Jô Santana, o musical pretende, a partir de um narrador-carnavalesco, uma comissão de frente, um casal de mestre-sala e porta-bandeira, uma ala de baianas, e uma estrutura de um desfile, contar fatos da vida e da música do mestre Cartola.

Além  dos nomes de peso acima, “Cartola, o mundo é um moinho”, contou com  colaboração ilustre da Neta de Cartola a diretora do Museu do Samba no Rio de janeiro além de ter na  Direção Musical ninguém menos que Rildo Hora.

A seleção de artistas para o musical, aconteceram em abril com horas e horas de audição para a difícil missão de escolher aqueles que melhor representassem o grande Cartola no palco. Foram 3000 inscrições; mais de 400 audições; 16 candidatos selecionados e dois convidados: Flavio Bauraqui (Cartola) e Virgínia Rosa (Dona Zica).

O Espetáculo ganhou proporções maiores do que apenas uma peça teatral, se tornando uma grande ação de empoderamento dos Artistas Negros deste país, além de revelar novos talentos/atores e atrizes negros”, declara Jô Santana, idealizador e produtor do Projeto.

Para Paulo Cesar que interpreta dentro do espetáculo vários  personagens, como o Zé Quete, o Hélio Turco, ambos sambistas, Saturnino de Brito, e participa do coro e ainda canta duas pequenas músicas, “O Cartola veio no momento importante na minha vida. Eu estou me encontrando mais como artista negro. Esse espetáculo tem uma importância gigantesca nesse meu encontro.”

A cada semana “Cartola, o mundo é um moinho!” contará com a participação de artistas que possuem relevância no universo proposto. Com Flávio Bauraqui, Virgínia Rosa, Adriana Lessa, Silvetty Montilla, Paulo Cesar Américo entre outros, o musical poderá ser visto a partir do dia 10 de Setembro em São Paulo com previsão de estréia no Rio de Janeiro em meados de 2017 e já é muito aguardado por todos aqueles apaixonados pelo samba e admiradores da vida e obra do Grande Mestre Cartola.

DEIXE UMA RESPOSTA

Entre com seu comentário
Por favor, digite seu nome