nova-geracao-textoUm passeio pelo subúrbio do Rio de Janeiro, onde o verdadeiro samba nasce, cresce e se cria, dá a dimensão e a riqueza da nova geração que chega com o talento, as vezes nato, as vezes herdado do pai, da mãe ou de um tio e, com a velocidade de jovens interligados, se espalha pelas redes sociais. Eles querem misturar samba, com Black, com Bossa Nova e até com Rock e,  ao mesmo tempo, resgatar o ritmo nascido no morro,  o samba de raiz, as rodas de quintal. A nova onda é mesclar, enriquecer e, ao mesmo tempo, preservar a história. Esta é a proposta que surge em um dos maiores berços do samba brasileiro, o Rio de Janeiro.

Foi assim com Balacobaco, que ao lançar uma versão repaginada da canção Tia Nastácia de Dorival Caymmi com muito partido alto, conquistou o público carioca. No mesmo embalo do Balacobaco, o Grupo Agitasamba começa a despontar no cenário carioca, com a música Fetiche. Na letra, claro, a exaltação da beleza feminina mas, de uma maneira diferente: alimentando a vaidade da mulherada que adora se sentir bonita e chamar a atenção. Assim, falando de vestidinho, shortinho,  salto alto, com o alto astral de uma verdadeira roda de samba, eles conquistam cada vez mais espaço e, vão longe!

Outra surpresa agradável que apareceu de maneira inusitada, foi o talento de Lucas Morato, que ao fazer uma música para o seu pai,o grande Péricles, com a pretensão única de mostrar o seu amor de filho, acabou conquistando o Brasil inteiro. Não deu outra: de tão linda, a canção virou sucesso e Lucas Morato hoje divide os palcos com Péricles.

No mundo globalizado e conectado é preciso falar de tudo. Por isso as letras de hoje não falam apenas do amor, da relação entre homem e mulher: trazem o amor de irmão, de pai, de mãe, de amigo, exaltam a beleza da natureza, a realidade da favela, do subúrbio, onde, há trabalho, suor, dor, mas também existe felicidade, amizade, beleza e claro, muito samba para comemorar!

O caminho para o sucesso, continua o mesmo: é preciso dedicação, compromisso,  humildade e respeito, para saber subir nos palcos de redutos consagrados como o Cacique de Ramos ou do badalado 4 Linhas em Bento Ribeiro e também para chegar às casas da Lapa, da Zona Sul para então, ganhar o Brasil. Foi assim como o Grupo Bom Gosto que de um jeito autêntico, começou sua roda em Jacarepaguá, encantou a quadra do Cacique e conquistou o Brasil, Como também vem fazendo o Grupo Clareou, que já desponta no cenário nacional como um dos grandes nomes do Partido Alto. Esta é a receita de artistas como Leandro Sapucahy, que cantando a realidade do morro nas coletâneas Favela Brasil I, II e III virou sucesso nacional.

O Grande desafio é inovar e renovar sem perder as raízes. É assim com João Martins, um dos maiores compositores do Rio de Janeiro dos últimos tempos, é assim com Balacobaco, Lucas Morato, Agitasamba, Arruda, Clareou, Leandro Sapucahy e tantos outros nomes que espalham pelo Brasil e pelo mundo, a alegria do autêntico samba brasileiro. O melhor de tudo é que, em meio a idéias inovadoras, arranjos mesclados, letras inusitadas, a essência do samba, a tradição do partido alto não se perde, se renova e ganha ainda mais força para perpetuar o verdadeiro e autêntico samba entre várias gerações futuras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Entre com seu comentário
Por favor, digite seu nome