sambas-zelia-duncan-texto
Zélia Duncan e parceiros do disco “Antes do Mundo Acabar”

Zélia Duncan, seguindo a onda do “Folk” (um misto de música folclórica e Rock que surgiu nos EUA e Canadá nos anos 60),  ganhou notoriedade no Brasil e no exterior.

Mas,  como artista brasileira nata, Zélia nunca se limitou a seguir apenas uma tendência: sua originalidade, sua criatividade sempre lhe permitiu voar mais longe e ampliar seus horizontes e,  por assim ser, a cada disco demonstrava que era uma artista eclética e disposta a novas e fascinantes experiências.

Em 2004, o disco” Eu me transformo em outras”,  trouxe interpretações de músicas de compositores como Cartola, Herivelto Martins, Tom Jobim e Jacob do Bandolim apoiadas num instrumental elegante e admirável. Mas, segundo a própria Zélia, ainda havia uma “certa implicância”.

No meio da roteirização do Prêmio da Música Brasileira em homenagem ao samba, a intimidade com o ritmo foi ficando mais forte e Zélia Duncan entendeu que  o Samba mandou lhe chamar, e ela disse sim para a ideia de Zé Maurício Machline.

Zélia queria um  “disco orgânico”. “Queria sentir o peso da mão no pandeiro”, sem implicância alguma: queria a mais autêntica e original, essência do samba “Antes do mundo acabar”!

Para isso, chamou gente do “metiê”: Arlindo Cruz, Ana Costa, Pretinho da Serrinha, Paulinho da Viola, Moacyr Luz, Dona Ivone Lara e vários outros sambistas,  passaram a fazer parte do projeto “Antes do mundo acabar”.

E o resultado, não poderia ser melhor:  No ano do centenário do Samba,  um autentico disco de Samba,  sem firula ou frescura,  na voz marcante da  original Zélia Duncan é enfim lançado!

Das milhares de opções versáteis que o Samba lhe dava,  Zélia optou por seguir  a mais pura essencial:  “Antes do mundo Acabar” tem  o espírito da roda de samba , onde a tristeza é cantada com “um sorriso, braços abertos e copo de cerveja na mão.”

E parece que Zélia incorporou realmente este “espírito sambista” para o disco “Antes do Mundo Acabar”  pois,   das 14 faixas, 9 são inéditas e arrebatadoras.

“Eu não esperava que virasse um trabalho autoral, mas virou graças aos parceiros que apareceram.” Afirma a artista.

Para quem gosta de um trabalho limpo, autêntico que traz em si a essência do samba, vale a pena parar e ouvir os sambas de  Zélia Duncan “Antes do mundo Acabar!

DEIXE UMA RESPOSTA

Entre com seu comentário
Por favor, digite seu nome