Toda a alegria do Molejão nesta entrevista exclusiva!!

1 – Sambando.com: A gente sabe que o Molejo voltou com nova formação, mas preservando aquela alegria que sempre foi marca registrada do Grupo. Como você vê esta nova fase?

Anderson: Esta fase, é uma fase maravilhosa, já que todo aquele nosso público que era infantil, cresceu e o Molejo cresceu junto! Nós continuamos com a mesma irreverência enquanto falamos de coisas atuais como Personal Trainer, esse negócio do cara “Voltar pra sacanagem”, do cara se apaixonar por uma estrangeira que são coisas do cotidiano. E o legal da banda é que todo dia, ela vai pegando assuntos novos e transformando em música, como é o caso da música chamada “Barraco” que fala de uma mulher que é barraqueira, tem também uma música chamada “Acha Prata” que é a história daquele cara que toma a mulher do outro, a mulher fala que o outro maltratava ela, não dava atenção e aí o cara, dá um trato, carinho, atenção e fala “perdeu malandro, vai achar prata, tremendo vacilão” e por aí vai (risos)

2 -Sambando.com: Vocês realmente vem trazendo temas atuais para as músicas do Molejo. Estas histórias como a do Personal Trainer, Barraco, Voltei, Merci Beaucoup e tantas outras, tem alguma delas que foi inspirada em algo vivenciado por vocês ou por alguém conhecido?

Anderson:Há isso aí sempre acontece, nem tudo né (risos). O legal da música é você viver o fato, ou saber de alguém que passou por alguma coisa parecida, mas tem muitas músicas que são temas de outros compositores. Quando a música é composição minha, eu sempre procuro buscar algum fato que aconteceu, alguma frase que alguém falou que eu gravo, uma palavra chave, mas, as vezes, acontece da galera mesmo fazer e aí a gente entra na música, coloca do nosso jeito deixa a música com a nossa cara e aí fica bem legal! E isso é que é bacana no Molejo: a gente conta a história de coisas que podem acontecer com qualquer um inclusive com a gente mesmo (risos). E todo mundo canta, todo mundo gosta: por exemplo o “Paparico”: quem é que nunca passou por isso, quem nunca caiu numa cilada, quem nunca achou que tava bem na fita e ficava ali bancando, dando aquela moral toda, tudo que a pessoa pedir e, no final, chega o namorado da mulher ainda te dando dura (risos) isso acontece com muita gente né.

3-Sambando.com: Com tanta história assim, com tanta coisa para contar em forma de música, a escolha do repertório não deve ser tarefa fácil. Como vocês fazem para montar o repertório do Molejo?

Anderson: A gente pede a opinião das pessoas em volta da gente e muitas vezes a gente pede a opinião de pessoas muito críticas. Mas o que vale é a opinião do povo mesmo. Então eu observo se a minha empregada ta curtindo, se o porteiro ta curtindo, pessoas que realmente ouvem o rádio, que prestam atenção, que realmente se divertem com as músicas. Então eu boto a música, peço a opinião, as vezes mudo alguma coisa que não tá muito legal, porque o bom mesmo é quando tem aquela reação de primeira que você percebe que o camarada achou muito legal e comenta: “poxa bacana”, dá um sorriso, brinca. Então a gente vai montando assim o repertório, ouvindo a opinião de todo mundo mesmo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Entre com seu comentário
Por favor, digite seu nome