O trem do Samba!

trem-do-samba-texto

Passageiros do Trem do Samba!

Central do Brasil, ano de 1930, Paulo Portela volta para casa, no Bairro de Oswaldo Cruz, junto com alguns amigos.

Mas o prazer não está só em voltar ao lar, está também na oportunidade de poder soltar a voz e cantar um belo samba sem se preocupar com a repressão, afinal, ali, no trem, não a ninguém para reprimi-los.

Dezembro de 1996. Dia Nacional do Samba.

O trem se aproxima da estação e, além do tradicional barulho dos vagões sob os trilhos, ouvia-se o batuque contagiante de pandeiros, o som do cavaco e vozes que cantavam samba. Era o Trem do Samba que chegava à estação!

A idéia partiu do compositor Marquinhos de Oswaldo Cruz que, resolveu fazer uma celebração democrática que partisse da Central do Brasil, para o bairro famoso por seus sambas, o Bairro de Oswaldo Cruz, refazendo o trajeto dos grandes nomes do samba que faziam do trem, o seu palco. A idéia foi recebida, com festa pelos amantes do samba, se popularizou, cresceu e hoje, segundo os organizadores, reuni uma multidão de mais de 200 mil pessoas.

Isso porque, além dos cinco trens que partem todo ano da Central do Brasil rumo ao bairro de Oswaldo Cruz, com grupos, blocos e sambistas animando cada um dos seus 36 vagões, a festa este ano inclui shows com grandes nomes do samba: Dona Ivone Lara, Nelson Sargento, Marquinhos de Oswaldo Cruz, Noca da Portela, Tantinho da Mangueira, Velhas Guardas da Portela, Mangueira, Vila Isabel e Império Serrano, Hamilton de Holanda, Dorina, entre muitos outros, espalhados em quatro palcos (Central e Oswaldo Cruz).

Segundo Marquinhos de Oswaldo Cruz, “A ideia é valorizar e celebrar o samba, uma das maiores expressões artísticas e culturais do país, aproximando o público de seus ídolos, bem como valorizar sua história”. Mas a ideia também traz a preocupação de mostrar a história do tradicional Bairro de Oswaldo Cruz, já que é considerado um dos berços do samba carioca.

Por esta razão, o Trem do Samba também oferece um passeio pelo Bairro de Oswaldo Cruz, onde todos podem ter acesso a história do bairro que se funde com a história do samba.

Assim o Trem do Samba, em comemoração ao Dia nacional do Samba, tornou-se uma das festas mais tradicionais do Rio de Janeiro fazendo parte do calendário oficial da cidade.

Este ano, a festa se estende por dois dias: 01 e 02 de dezembro. Especificamente no dia 02, o Trem do Samba partirá da Central do Brasil as 18:04h, mesmo horário em que Paulo da Portela seguia para Oswaldo Cruz, há 80 anos, com seus companheiros de samba batucando e cantando nos trens.
Todos são convidados a participar desta viagem que conta com cinco composições ferroviárias completas, fornecidas e operadas pela SuperVia, quatro delas, compostas por oito carros cada, destinadas aos participantes da festa e uma disponibilizada para as Velhas Guardas das Escolas de Samba, unidas nesta grande comemoração.

Fazendo jus ao clima solidário que sempre se faz presente nas rodas de samba, para embarcar neste trem, basta doar 1kg de alimento não perecível trocado por bilhete, na própria estação da Central do Brasil, durante todo o dia do evento.

Deixe seu recado

porntt free porn adultpicsxxx.com